Home / Artigo / Modos Gregos Aplicação

Modos Gregos Aplicação

A aplicação dos Modos gregos é algo simples, mas para entender é um pouco complexo, existem várias formas para a aplicação dos modos gregos , neste post vou tentar resumir de forma básica a aplicação dos modos gregos.
Para um melhor entendimento, recomendo que você baixe gratuitamente meu método falando sobre modos gregos. (Baixar)
Existem duas formas básicas de se improvisar em uma música (solar) claro existem outras, mas as básicas são duas: a Improvisação Tonal e a Improvisação modal. A seguir vou explicar as diferenças das duas.
Improvisação Tonal – A Improvisação tonal é a forma de se solar que mais se usa por ai, por ser mais simples, basicamente ela funciona assim, você tem uma progressão de acordes de um mesmo campo harmônico ou tom, e usa a escala desse tom em cima da progressão, por isso se chama improvisação tonal. Veja o exemplo:
Exemplo 1
Progressão: Am F e G. Escala usada para solar: C
Veja que na progressão acima todos os acordes estão no tom de C. Então você usa a escala de C para solar, simples assim, fica meio pobre harmonicamente seu improviso, por você usar apenas uma escala para vários acordes. Mas é isso que fazem 90% dos Guitarristas.
Agora vamos ver a improvisação Modal.
Improvisação Modal – 

Progressão: E F# G A Bb7 Aqui você nota como a harmonia muda de tom, devido a você improvisar com modos, não precisa ficar preso em um tom só. Vamos analisar a progressão passa a passo.
Nos acordes de E e F# você usa a escala de E lídio.
Nos acordes de G e A, você usa a escala de G lídio.
e pra terminar no acorde de Bb7 você usa a escala de Bb Mixolídio.
Percebeu como fica uma harmonia mais trabalhada?
É por isso que é um pouco mais complexo improvisar sobre progressão modal, ainda existem muitas outras formas de se fazer a aplicação dos modos gregos , e o som da improvisação modal é muito mais marcante e trabalhado.
Então Você não vai conseguir usar a improvisação modal em 99% das musicas que estão por ai, porque elas não são preparadas para serem modais, e sim tonais, até mesmo porque a maioria dos compositores não tem este conhecimento. Você pode utilizar compondo suas próprias musicas ou criando arranjos nas musicas, como uma passagem em que você utiliza a harmonia modal para solar e depois volta para a harmonia da música, pode ser feito no inicio no meio ou no final da música esse tipo de arranjo.
Existem guitarrista que decoram os desenhos no braço da guitarra e usam a aplicação dos modos todos no mesmo tom.
Por exemplo:
Progressão: Em C e D.
O guitarrista usa G jônio, A dórico, B frígio e assim por diante, neste tipo de progressão, você apenas esta usando os desenhos dos modos, não a sua sonoridade devido a todos os acordes e escalas estarem no mesmo tom, isso acaba gerando a improvisação tonal, apesar de está usando o desenho dos modos.
Os desenhos dos modos não querem dizer nada sobre a sonoridade dos modos ,para extrair as sonoridades dos modos, tem que ter a harmonia preparada de forma modal, e também se analisar os intervalos dos modos.
Vou dar um pequeno exemplo de como se fazer isso, porque o assunto é muito vasto.
Vamos ao exemplo:
Se pegarmos um acorde de C, que escala você usaria? Provavelmente a escala de C maior ou a sua pentatônica. Mas com os modos podemos ver esse C de 3 maneiras.
Como o acorde de C é um acorde maior, você pode usar os 3 modos maiores em cima dele, ou seja você pode ver ele de 3 formas: Jonio, C lídio ou C mixolídio.
Então em cima do C eu posso usar: C jônio, C lídio ou C mixolídio. Eu vejo ele de três formas diferentes, mudando a sonoridade dos solos.
Faca o seguinte:
Grave uma base só em C e Aplique em cima da base:
C Jônio
C lídio
mixolídio
E Perceba a sonoridade e a sensação de cada modo em cima do C.
Assim que se sola de forma modal, a mesma coisa você faz para o acorde menor:
Se pegarmos o tom de Dm, podemos solar com D Dorico, D frígio e D Eóliopor ser um acorde menor devemos usar os modos menores. Então grave a base em Dm e aplique em cima:
D dórico
D frígio
D Eólio.
E observe a sonoridade que dá.
Geralmente se você for iniciante não conseguira ver a diferença das sonoridades, como os músicos mais experientes, mas você deve ter paciência e treinar assim mesmo até desenvolver seu ouvido interno.
Bom pessoal por hoje é só, como disse é impossível em apenas um post explorar todos os conceitos dos modos, mas vejo que na internet este assunto é mal explicado então resolvi dar um norte para você que estuda guitarra e tem vontade de conhecer mais sobre os modos.
Espero que tenha gostado!
Um forte abraço!

Comentários Facebook

Sobre erickreis

Guitarrista profissional, e professor de guitarra a 16 anos.

Veja isso também

Como escolher seu professor de Guitarra

Boas dicas!!  Saiba escolher seu professor de guitarra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Navegue Nas Páginas ➡